Cultura

Loading...

quinta-feira, 8 de setembro de 2016

Patrono Cadeira nº 23

Morivalde Calvet Fagundes

Biografia do poeta pelotense Lobo da Costa, seu tio-avô, e pronuncia em público (1939) sua primeira conferência, em São Leopoldo, sobre o 51º aniversário da morte de Lobo da Costa.
Em 1940 ingressa na Escola Militar de Realengo, sendo declarado Aspirante a Oficial do Serviço de Intendência em 09 de outubro de 1942. Classificado em P. Alegre, continua aliando armas e letras, pronunciando e escrevendo dezenas de palestras, conferências e trabalhos. Em 24 de junho de 1943 é promovido a 2º tenente. Desde jovem portanto, revela-se um homem atento à evolução e aos acontecimentos da época, sem descuidar dos ensinamentos da história.
O ano de 1945 é importante para Calvet, pois inicia sua carreira maçônica, na Loja Bento Gonçalves de P. Alegre, filiada à Grande Loja do Rio Grande do Sul. Em nove meses já chega à Venerança, e no ano seguinte alcança grau 30. Em 25 de março do mesmo ano é promovido a 1º tenente. Cinco anos depois, 25 de dezembro de 1950, foi promovido a Capitão.
Em 1954 surge o seu primeiro livro – Lobo da Costa, Ascensão e Declínio de um Poeta – homenagem a seu tio-avô.
Na Maçonaria, ainda em 1954, destaca-se como Grande Orador de sua Grande Loja.
Sua promoção a Major, em 25 de agosto de 1956, acarreta, no ano seguinte, transferência para o Rio de Janeiro. Naquela capital filia-se à Loja Maçônica Luis de Camões.
Seu segundo livro – Estórias da Figueira Marcada – sobre folclore gaúcho, é lançado em 1961, com prefácio e anotações do mestre Câmara Cascudo.
No ano de 1962 galga um degrau importante na carreira militar, ao concluir o Curso de Chefia de Serviços, na Escola de Comando e Estado-Maior do Exército (ECEME – Praia Vermelha, Rio). Foi promovido a Tenente-Coronel em 25 de agosto de 1963. Na mesma época é agraciado com a Medalha do Pacificador e com a Medalha Militar de Ouro (Tempo de Serviço), pelos seus mais de 30 anos de bons serviços prestados à Pátria e ao Exército.
Em 1965 solicita transferência para a Reserva Remunerada do Exército, alcançando assim os postos de Coronel e de General de Brigada, simultaneamente, pela legislação da época.
Na iniciativa privada revela-se um administrador, lançando, no Círculo dos Oficiais Intendentesdas Forças Armadas (COIFA), onde exerce funções de  Vice-Presidente, o Pecúlio-Pensão, modalidade que alcança muito boa repercussão em todo o território nacional, aos associados da COIFA.
Posteriormente, Calvet alcançaria a posição de Presidente da mesma entidade.
Em 1967 ocupa o cargo de 1º Grande Vigilante da Loja Luís de Camões, filiada à Grande Loja Maçônica da Guanabara. Dois anos depois é Grande Tesoureiro Adjunto do Supremo Conselho do Grau 33º e eleito membro efetivo e redator-chefe da Revista Astréa.
Em 1972, funda a Academia Brasileira Maçônica de Letras, a primeira do gênero no mundo, congregando intelectuais brasileiros e estrangeiros. A iniciativa do General Calvet foi extremamente profícua, pois existem hoje mais de 14 academias no Brasil, realizando intercâmbios culturais, congressos internacionais e publicações de Anais e documentos, inclusive com a participação e colaboração da Academia Brasileira de Letras. Calvet foi, também, fundador da Academia Sul-Rio-grandense Maçônica de Letras (Cadeira 1), sendo atualmente Patrono da referida Academia.
O seu 3º livro – A Maçonaria e as Forças Secretas da Revolução – que retrata a participação da Maçonaria na Revolução Farroupilha, é publicado em 1976, com prefácio do maçonólogo Nicola Aslan.
Em março de 1981 organizou o 1º Congresso Maçônico Internacional de História e Geografia, no Rio de Janeiro, reunindo os trabalhos de 12 escritores estrangeiros e 35 brasileiros, constituindo a maior obra maçônica dos tempos modernos, com 4 volumes e 1100 páginas.
O General Calvet faz parte também das seguintes associações literárias e de classe: Academia Maçônica de Letras, Ordem dos Velhos Jornalistas, Associação Brasileira de Geografia, Academia Anapolina de Ciências e Letras, Instituto Histórico e Academia de Letras de Uruguaiana, Clube Militar, Academia Guanabarina de Letras, Instituto Brasileiro-Peruano Marechal Ramón Costilla, Instituto Cultural Simon Bolívar Argentino-Brasileiro, Centro de Estudos de Maçonaria Espanhola, Instituto de História e Tradições do Rio Grande do Sul, Academia de História Militar Terrestre do Brasil e Instituto de História e Geografia do Rio Grande do Sul.
Foi diplomado Cidadão do Estado da Guanabara e Benemérito da Cultura, além de Honra ao Mérito da Grande Loja do Estado do Rio de Janeiro e do Grande Oriente Independente do Estado do RJ.
Colaborou, por mais de 50 anos, com os principais jornais do país. Conferencista, ensaísta e historiador, Calvet Fagundes desenvolveu intensa atividade intelectual, sendo que seus trabalhos receberam, sempre, louvores da crítica. Por último, publicou as seguintes obras:
- Maçonaria, Espírito e Realidade. Rio de Janeiro, Editora Aurora, 1982.
- A Bandeira do Brasil como Símbolo Sagrado da Pátria. Rio de Janeiro, Editora Aurora, 1983.
- História da Revolução Farroupilha. Caxias do Sul, EDUCS, 1984, 2ª ed./1985 e 3ª ed./1989.
- Uma Visão Dialética da Maçonaria Brasileira. Rio de Janeiro, Editora Aurora, 1985.
- Subsídios para a História da Literatura Maçônica Brasileira do Século XIX. Caxias do Sul, EDUCS, 1989.
- Rocha Negra, a Legendária. Londrina, Editora A Trolha, 1989.
- Os Maçons – sua Vida e sua Obra.
- Dom Pedro I na Intimidade. Porto Alegre, Edições EST, 1994.
- Peregrinando pelo Rio Grande. Porto Alegre, Edições EST, 1995.
O General Morivalde Calvet Fagundes faleceu a 23Jun2000, no Rio de Janeiro, onde residia, motivo pelo qual o Instituto de História e Tradições do Rio Grande do Sul (IHTRGS) e a Academia de História Militar Terrestre do Brasil (AHIMTB) vêm prestar-lhe esta homenagem como militar, maçom, historiador, escritor, tradicionalista gaúcho, escritor, conferencista, ensaísta, administrador e, sobretudo, patriota, na certeza de que o conjunto de sua obra tem e terá sempre inestimável valor.
CLÁUDIO MOREIRA BENTO LUIZ ERNANI CAMINHA GIORGIS
Presidente da AHIMTB/IHTRGS Delegado da AHIMTB/IHTRGS/RS

Nenhum comentário:

Postar um comentário