quinta-feira, 18 de outubro de 2018

Chamado.


Fórum Permanente de Formação Docente
Enviado Por:  Benno Becker Júnior

O Departamento de Atividades Culturais – DAC, da Grande Loja Maçônica do Estado do Rio Grande do Sul, tem o prazer de informar, que, no  dia 24 de outubro,  dará sequência ao Programa 2018 do Fórum Permanente de Formação Docente, com a palestra sobre "Meditação – metodologia de aplicação pelo Mestre Instalado Ir Benno Becker Júnior, 32° , Presidente da Academia Maçônica de Letras Sul-Rio-Grandense – ACADESUL, e obreiro da BARLS 20 de Setembro , nº 119.

A palestra terá lugar no auditório da GLMERGS, às 18 horas, com duração de 50 minutos e 30 minutos para perguntas.

Convidamos aos queridos irmãos, para as palestras do DAC / GLMERGS,  cujos temas focalizam a evolução docente dos irmãos responsáveis pela formação nas suas lojas. O traje é livre e a palestra aberta a todos os graus.
           
  As inscrições podem ser feitas, gratuitamente, através do e-mail: forum2018@glojars.org.br , sendo solicitado "um quilo de alimento não perecível."

sexta-feira, 21 de setembro de 2018

A Morte


Platão 
Entendia a filosofia como preparação para a morte, tema que reaparece no ensaio “Que filosofar é aprender a morrer”, de Montaigne, cujo título evidencia, portanto, uma leitura da tradição.
O entendimento desse tema pelo pensador francês é, todavia, bem distinto daquele presente no Fédon, antes de tudo por se dar à luz as correntes do pensamento helenístico. Montaigne, pois, dialoga basicamente com os estoicos e com os epicuristas latinos, cujas filosofias são uma ética da salvação e da realização individuais, vazada em receituários de comportamento e códigos de reflexão, nos quais o enfrentamento da morte é a pedra de toque da vida feliz, inseparável da tranquilidade da alma.
 Este ensaio é, todo ele, construído com argumentos e noções filosóficas helenísticas, sobretudo de Sêneca, pois Montaigne pretende nos ensinar a não temer a morte e a nos familiarizarmos com ela, que “é o objetivo de nossa caminhada”, “o objeto necessário de nossa mira”.

Tal insistência nasce da constatação de que os homens, em geral, alimentam a ilusão de que a morte está distante deles, já que diria respeito apenas aos idosos e aos enfermos. Na contramão disso, o filósofo escreve: “Não pensemos em nenhuma outra coisa com tanta frequência quanto na morte”. E acrescenta: “É preciso estar sempre com as botas calçadas e pronto para partir”.

Como é sabido, o traço mais singular dos Ensaios talvez seja a sua constituição enquanto um autorretrato. Como nos demais textos, em “Que filosofar é aprender a morrer”,

sábado, 8 de setembro de 2018

Do G.M.RS.

Grande Loja Maçônica do Estado Rio Grande do Sul
Fundada em 08 de janeiro de 1928
Integrante da CMSB e da CMI
Porto Alegre, 07 de setembro de 2018
Postado por: ddllsll

Aos Irmãos da Jurisdição

Prezados Irmãos, abaixo encaminhamos mensagem recebida pela CMSB, e irmanados neste mesmo propósito, rogamos a todos maçons de nossa Jurisdição que se mantenham firmes e serenos nesse momento de crise pela qual passa nosso Pais. Nessas horas é preciso exercitar ao máximo nosso sentimento de tolerância, manter a fé em nossas instituições para que a justiça seja feita. Devemos como sempre, propugnar pelo respeito aos direitos de todos e sermos uma referencia em nossas comunidades, como cidadãos íntegros e corretos.

Fraternalmente
Norton Panizzi - Grão Mestre.


Confederação Maçônica repudia atentado contra Bolsonaro 
A Confederação da Maçonaria Simbólica do Brasil (CMSB), que congrega as 27 Grandes Lojas Maçônicas do País, nos Estados e no Distrito Federal, volta o seu pensamento a Deus, para que o Grande Arquiteto do Universo dirija as Suas Luzes ao pronto restabelecimento da saúde do cidadão Jair Messias Bolsonaro, deputado federal e candidato à Presidência da República. No plano terreno, neste momento difícil, a CMSB manifesta o seu mais veemente repúdio à violência sofrida pelo candidato, vítima de intolerável e condenável atentado a faca, nesta quinta-feira, dia 6 de setembro, em Juiz de Fora-MG.

A mancha que tingiu de sangue a campanha eleitoral, decorrente do covarde ato contra o candidato Bolsonaro, conforme as notícias das primeiras horas do infausto crime, tem indício de que foi um ato isolado perpetrado por um indivíduo desqualificado. Que assim seja! Do contrário, estaremos diante de grave ameaça às liberdades individuais e políticas, além de ferir o próprio Estado de Direito, a Democracia, enfim. A nossa Instituição, porém, estará permanentemente de vigília para combater quaisquer ameaças nesse sentido.

Os maçons, pela CMSB, estão estarrecidos diante do que se presencia neste momento, visto que não há notícias, nas últimas gerações, de violência de tamanha gravidade, tanto de ordem pessoal quanto institucional contra um candidato à Presidência. O triste e lamentável episódio enluta, pois, a todos aqueles que têm na tolerância um modo de vida, razão pela qual propugnam por uma apuração e punição justa ao responsável pelo crime de Juiz de Fora. Aliás, é motivo de confiança e de respeito o trabalho da Polícia Federal que já abriu inquérito para apurar toda a dimensão do atentado.

quinta-feira, 6 de setembro de 2018

Três Universos


Três divindades, três presenças.

Nosso conhecimento do Universo apresenta sérias contradições e incompatibilidades, seja em relação aos motivos de sua existência (por acaso, Providência, telefinalismo),  seja em relação à eclosão da espécie humana (integrada ou não no mundo natural), seja em relação ao mundo das micropartículas (indeterminadas, prováveis).  Não obstante, nossa inteligência foi dotada da capacidade de compreender essas anomalias, desde as homologias que observa, até atingir a compreensão adequada de suas relações transcendentes.
Foto: Google.cl
Assim, contrariamente ao que afirmam os materialistas, o universo físico possui fortes sintonias espirituais, a partir do problema de suas origens, de sua organização e de suas manifestações virtuais, confirmados pela existência de três mundos diferenciados, mas interligados, com suas propriedades específicas: o universo cósmico, o universo quântico e o universo virtual, que nos induzem a constatar a presença, seja de um Criador, seja de um Transformador Místico, seja de uma Fonte espiritual  para justificar nossas criações culturais.
Por primeiro, o universo cósmico é o resultado da imediata detecção de nossos sentidos exteriores. Possuindo fortes inflexões para o bem e/ou  para o mal, seja físico, metafísico ou moral, o que implica o reconhecimento de que ele apresenta  acentuadas conotações valorativas, criadas e percebidas apenas por nossa  subjetividade, mas reais em seus efeitos, o que implica também o exercício de nossa liberdade. Concebido como oriundo de uma Causa Primeira, tem, a partir de ARISTÓTELES, o argumento  lógico  da impossibilidade de uma regressão ao infinito na ordem das causas, sob pena  de não poder justificar a própria sucessão (sic). O mundo natural tem como justificativa a presença de um Criador: absoluto, providente e amoroso, cuidando da sobrevivência de seu povo escolhido (Antigo Testamento). Acima do bem e do mal, Suas ações refletem uma  cuidadosa preocupação referente à  fé entre seu povo escolhido, pela crença em um único Senhor.
Não obstante, há ainda a presença de dois outros mundos, o quântico e o virtual, de características diferenciadas, mas complementares em suas relações. Assim, o mundo das micropartículas, por suas características quânticas, é o universo das incertezas e dos fenômenos apenas prováveis, mas cercado da oclusão de fenômenos aparentemente indiferentes aos seus efeitos, o que demanda a presença de um Provedor Inteligente, responsável pela transformação do caos em cosmos. O reconhecimento do mundo quântico como intrínseco à própria natureza das coisas nos indica suas relações com o macrocosmo.  Por isso, ele é como o  reino do Filho, dominado pela fé e convicção de que tudo é possível, a partir apenas de nossas convicções.
O terceiro universo é aquele recheado de virtualidades, o mundo das aparências apenas vislumbradas, mas muito concretas no mundo da cultura, do conhecimento e de nossos valores transcendentes. O mundo virtual atesta a presença, entre nós de um Espírito estranho à ordem natural, confirmando a presença do sobrenatural entre nós. A religião, a arte e a cultura, são as suas manifestações mais notáveis, garantindo a transcendência de nossas ações, garantindo sua imortalidade, seja  histórica  ou revelada.
Dessa forma, o conhecimento humano é tomado pela percepção de que há uma Trindade Transcendente a guiar o processo da evolução, tendo como avalista nossa própria espiritualidade.

quarta-feira, 22 de agosto de 2018

Verdade

“O QUE ME PREOCUPA NÃO É O GRITO DOS MAUS, MAS O SILÊNCIO DOS BONS”

Atribui-se a Martin Luther King uma frase de valor inquestionável: “O que me preocupa não é o grito dos maus, mas o silêncio dos bons”. É exata! É sob o silêncio cúmplice dos decentes que alguns dos maiores crimes acabam sendo perpetrados. Um texto do pastor Niemöller, que cometeu o equívoco de ser simpatizante do […]

terça-feira, 14 de agosto de 2018

VI Seminário

VI Seminário Fronteiras do Pensamento Maçônico
Porto Alegre, RS, 7, 15 e 31/8/2018

Comissão organizadora

Veneráveis

Adalberto Cedar Kuczynski, Edilberto Antonio A. Padilha, Icaro Carvalho de Bem Osório, Edilberto Padilha, Eduardo Lamb dos Santos, Flavio Martins Pinto, José João Appel Mattos, José Joaquim Fialho, José Roberto dos Reis Salgado, Nicásio Haruhiko Tanaka, Victor Hugo Rodrigues.

Coordenação científica

Arcy Souza da Costa, Celomar Walter Schwalm, Diego Mendes Fontoura Riveiro, Edson de Queiroz Penna, Edson Rodrigues Almeida, Hegel Pereira Britto, Jorge Luiz Kunzler, Marcelo da Rosa, Pedro Gabril Kenne da Silva, Ubirajara Lino Cardoso, Wilmar Campos Abiz.

       Benno Becker Júnior                           Arcy Souza da Costa             
       Coord. VI SFPM 2018                         Pres. Com.  Científica                                              

            Celomar Walter Schwalm                        Walmir Reis da Silva                               
                  Coord. Programa                             Coord. Recepção                                                             


             Edson de Queiroz Penna
     Secretário

Lojas apoiadoras


Lojas participantes
Veneráveis Mestres
01
C\B\A\R\L\S\  Luz e Ordem, 9
V\M\ Icaro Carvalho de Bem Osório
02
C\B\A\R\L\S\  Electra, 21.
V\M\ Flávio Martins Pinto
03
B\A\R\L\S\ Phoenix 70.
V\M\ Victor Hugo Rodrigues
04
B\A\R\L\S\  Adayr Figueiredo, 81
V\M\ José João Appel Mattos
05
B\A\R\L\S\ Gênesis, 106.
V\M\José Joaquim Fialho
06
A\R\L\S\    20 de Setembro, 119.
V\M\ Adalberto Cedar Kuczynski
07
B\A\R\L\S\ Giuseppe Garibaldi, 138
V\M\ Edilberto A. Almeida Padilha
08
A\R\L\S\  Vigilantes Solarinos, 194
V\M\José Roberto dos Reis Salgado
09
A\R\L\S\  Luz e Liberdade, 200.
V\M\ Eduardo Lamb  dos Santos
10
A\R\L\S\  Véritas, 220.
V\M\ Nicasio Hiruhiko Tanaka
11
R\A\L\S\  G. Garibaldi 50 Uruguai
V\M\ Nicolas Neumann
12
R\A\L\S\  G. Garibaldi 122 Paraguai
V\M\ Adrián Tadeo Jara

VI Seminário Fronteiras do Pensamento Maçônico
Companheiros Maçons
Data: 15/8/2018                                                                  Local: Fraternidade
Loja: A\R\L\S\ Véritas, 220                                         Horário:  19h30
Comissão científica
- IIr\Hegel Pereira Britto, Edson Rodrigues Almeida e Marcelo da Rosa.


Nome
Loja
Tema
01
Marco Antonio C. Almeida
CBARLS Electra, 21
Hexagrama: O signo de Salomão.
02
Emerson Baldotto Emery
BARLS Phoenix, 70
Elevação: transição do plano físico ao espiritual.
03
Claudio Vinicius T. Bonatto
BARLS Adayr Figueiredo 81
A primeira instrução.

04
Gaspar Francisco L. da Costa
BARLS  Genesis, 106
A luva branca e a sua simbologia.
05
Carlos Alberto N de Castro
BARLS 20 de Setembro 119
A história do Companheiro Maçom.
06
Dartagnan Ferrer dos Santos
ARLS G. Garibaldi 138
Estrela Flamígera.
07
Fernando Marques
ARLS  Luz e Liberdade, 200
Como nos reconhecemos como maçons
08
Aurelicio Novaes Silva Junior
ARLS Véritas
A verdade dentro de nós.

09
Manuel Fernandez (Paraguay)
RALS G. Garibaldi 122 Par.
Imanência e transcendência.


Cerimônia de abertura do VI SFPM – Companheiros Maçons

1. Mest\ de Cer\ saúda aos presentes e passa a compor a Mesa de abertura
2. Mesa de abertura.
    Ser\Gr\Mest\Norton V. Panizzi, Pres. DAC, Benno Becker Júnior,
    V\M\Nicasio Haruhiko Tanaka e Coord. Comissão Científica, Arcy Souza da Costa
 3. Invocação inicial. Pres. DAC/GLMERGS Ir\ Benno Becker Jr.
 4. Abertura do VI SFPM 2018 - C\M\ pelo Ser\Gr\Mest\Norton V. Panizzi
 5. Hino nacional.
 6. Encerramento da cerimônia de abertura.
 7. Autoridades voltam a seus lugares.
 8. Composição da Comissão científica para direção dos trabalhos.
     IIr. Hegel Pereira Britto, Edson Rodrigues Almeida e Marcelo da Rosa
9. Após o 6º trabalho, será interrompida a sessão para o Coffee-break.
 10. Após 20 minutos, reinício da apresentação dos trabalhos.
11. Final da apresentação dos trabalhos. Análise da Comissão científica.
12. Encerramento do VI SFPM - C\M\ Ser\Gr\Mest\Norton V. Panizzi.
13. Convite aos irmãos  para Seminário de M\M\(31/8/18) no T. OObr\ de  S. João, da Loja Phoenix 70.

Inscrições
Departamento Atividades Culturais
                   Banco 041   Ag. 0597  CC 06.212500 0-2
                   Companheiros= R$ 30,00 e  Mestres= R$ 50,00
Também podem ser feitas inscrições no dia e local do evento, a partir das 18h30min

Traje: maçônico, sem paramentos.